spacer logo
line
 
   FESTIVAL 2008


line

Circo
Dança
Filmes
Música
Performance
Projectos de criação
Teatro

+

Janela Indiscreta
+
Espírito do lugar

Redondo
Évora
Estremoz
Montemor-o-Novo
Arraiolos
Aldeia da Luz
Viana do Alentejo

Encontros da luz
Exposições
Sam Buxton
Revista Alentejo

Artes da terra
Oficina do feltro
Andamentos
Escola de Verão
Palco digital

Casa revolucionária
Crónica

+
APRESENTAÇÃO
DESTAQUes
PROGRAMA
NEWSLETTER
DOCUMENTaÇÃO
+
APOIOS
FICHA TÉCNICA
CONTACTOS

+
EDIÇÕES ANTERIORES
2007 | 06 | 05 | 04


spacer line

HOME > EXPOSIÇÕES > SAM BUXTON

line
spacer line



line
 
sam buxton
Mikro world

Sam Buxton 
UK
Exposição itinerante

Biblioteca Municipal, Arraiolos
6 a 29 de Junho
Sala Multiusos, Piscinas Municipais, Aljustrel
4 a 13 de Julho
Piscinas Municipais, Montemor-o-Novo
18 a 30 de Julho
Jardim do Hotel da Cartuxa, Évora
1 a 18 de Agosto 
Biblioteca Municipal, Alvito
20 a 30 de Agosto
Centro Cultural, Redondo
1 a 14 de Setembro
Teatro Bernardim Ribeiro, Estremoz
16 de Setembro a 19 de Outubro

Concepção e Montagem Sam Buxton
Montagem Woojung Chun
Entrada Livre
Todas as idades

Nomeado para  o prémio  de Designer do Ano (2004) pelo Museu de Design, Inglaterra, o trabalho de Sam Buxton destaca-se pelo modo como explora materiais e tecnologias, procurando sempre atenuar as barreiras que separam arte, ciência e design. O esforço que dedica à descoberta de novos objectos, capazes de comunicar, informar e causar reacções no utilizador, revelam o seu empenho na exploração da delicada relação entre o corpo humano e o meio envolvente.

Na exposição Mikro World, Sam Buxton apresenta o universo da casa através de um conjunto de três peças: Mikro World, Mikro–the deep, Mikro-house.

A grande peça que empresta o nome à exposição, Mikro World, consiste numa complexa estrutura transparente com cerca de 2m de altura por 3m de comprimento, que pode ser exposta num espaço interior ou exterior e vista a partir de qualquer um dos seus lados.

No seu interior encontramos diferentes níveis e espaços construídos em finas placas de aço inoxidável, que descrevem diferentes actividades do homem. Assemelhando-se a um corte vertical de um edifício imaginário, esta estrutura inclui parques de estacionamento, parques de diversão, amplas áreas de escritórios, hospitais, ginásios, heliportos e jardins interiores, e muitos outros pormenores como câmaras de vigilância, ecrãs de segurança, antenas parabólicas, reflexos da vida urbana contemporânea. Como num teatro em miniatura, aí podem observar-se as personagens, as actividades e os ritmos que habitam quartos, salas e escritórios, chegando o detalhe às zonas privadas das casas.

O trabalho na sua totalidade representa um sistema mecânico abstracto da vida urbana contemporânea, sobretudo nas suas características repetitivas e rotineiras e representa, igualmente, a tradução artística de Sam Buxton sobre a sua experiência enquanto cidadão do mundo.

A exposição foi concebida especificamente para o Festival Escrita na Paisagem 2008 e percorre, unificando o seu território, a quase totalidade dos municípios nele envolvidos.